ArbitragemDestaque

Opinião: aclamação de Salmo Valentim na ANAF é recado dos árbitros ao presidente da CBF

Arbitragem foi às urnas e reelegeu por aclamação o Pernambucano de 51 anos presidente da Associação Nacional dos Árbitros de Futebol

Os árbitros brasileiros foram às urnas neste final de semana e reelegeram, por aclamação, o advogado pernambucano Salmo Valentim para conduzir a Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (ANAF), por mais quatro anos.

Depois de resgatar a credibilidade moral e financeira do órgão estimulando que profissionais de todo país voltassem a acreditar em sua entidade classe, o dirigente teve uma votação expressiva sem que nenhuma outra chapa tenha sido inscrita para a disputa.

Os números de sua gestão comprovam não só seu compromisso com os árbitros brasileiros, como sua indiscutível liderança. Embora recuse rótulos, seu perfil direto, objetivo e coletivo, abriu portas para que a entidade engrossasse sua desenvoltura política atingindo o auge de sua história.

Além de carros zero quilômetro sorteados e o anúncio da compra de uma sede institucional no Rio de Janeiro, nesses três anos de trabalho, percebeu-se que o respeito ao árbitro foi o alicerce do que se apresentou. Foram várias ações inéditas realizadas, algo que acabou estimulando o crescimento da entidade.

Reeleito por aclamação e unanimidade por árbitros de todo país, a categoria acabou dando um recado claro ao presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, de que Salmo Valentim é o nome mais coerente e preparado para assumir o comando da arbitragem brasileira. Com a experiência de quem conhece em detalhes as dificuldades do árbitro não só dentro, mas também, fora de campo, seu nome de consenso significa a reestruturação moral da comissão nacional, algo que há pelo menos 16 anos não ocorre.

Na próxima semana, no Rio de Janeiro, Valentim deve se reunir com a alta cúpula da CBF para apresentar, a pedido de Ednaldo, um projeto de reformulação da arbitragem brasileira. No documento, há um estudo minucioso sobre o segmento com soluções para que o Brasil resgate o seu prestígio nacional e, principalmente, internacional no setor.

Caso assuma o comando da comissão, a ANAF passa a ser gerida pelo auxiliar mato-grossense, Fábio Rubinho, um dos mais importantes nomes da história recente do futebol que passa a integrar a diretoria executiva da entidade.

Procurado pela nossa reportagem, através de sua assessoria, Valentim não confirmou o encontro com Rodrigues, mas afirmou não ter dúvidas de que a arbitragem brasileira está entre as melhores do mundo, mas que precisa de um choque de gestão para reencontrar os rumos de sua história.

 

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios