ArbitragemDestaque

Escândalo: Leonardo Gaciba desautoriza presidente da CBF em documento que visa o enfraquecimento das federações

Ednaldo Rodrigues devolve às federações decisão de indicar seus árbitros para cursos da CBF, mas Gaciba ignora e encaminha outro documento desmoralizando o dirigente baiano

Um presidente meramente ilustrativo. É assim que Leonardo Gaciba, presidente da Comissão de Árbitros da CBF, tratou o ex-presidente da Federação Baiana de Futebol (FBF), Ednaldo Rodrigues, que desde a queda de Rogério Caboclo, interinamente, segue com talento e criatividade gerindo a entidade resgatando sua credibilidade.

Após o dirigente nordestino disparar um documento às federações de todo país devolvendo a elas o poder de indicar seus árbitros para o PRAB – Projeto de Renovação da Arbitragem Brasileira, realizado pela CBF, contrariado, Gaciba emitiu um novo documento, passando por cima e da ordem do presidente, em um recado claro de insubordinação e desrespeito na certeza de que quem manda na arbitragem é ele, tornando sem efeito a decisão de Rodrigues. Essa é a primeira vez na história em que um empregado da entidade publicamente desrespeita a decisão de um presidente.

Vejam os dois documentos abaixo, na ordem de envio:

Ofício Circular nº 157-2021 – Programa de Renovação da Arbitragem Brasileira

Programa de Renovação da Arbitragem Brasileira – 2

Como se não bastasse a insubordinação do dirigente gaúcho com o claro objetivo de enfraquecer comissões estaduais de arbitragem, federações e, por tabela, desmoralizar Rodrigues, Sérgio Corrêa que possui total interesse no esfacelamento da gestão Gaciba, resolveu entrar na briga e disparou um e-mail às federações, desautorizando o presidente da comissão, alertando de que o documento válido era o do presidente da CBF, e não, o de Gaciba, em uma ação clara que também visa enfraquecer seu antagonista.

 

A postura de Leonardo Gaciba comprova não só o seu latente desiquilíbrio emocional, como a necessidade de o presidente da CBF tomar uma atitude publicamente, pois caso contrário, abrirá um precedente perigoso assumindo sérios riscos de ser ridicularizado pela opinião pública, podendo, inclusive perder a governabilidade e o respeito não só de funcionários, como também dos clubes e das federações.

Nesse conluio de vaidades, não vai demorar para que o VAR vire caso de polícia na CBF. Conduzido por Corrêa, um dos dirigentes mais odiados no meio da arbitragem, a ferramenta brasileira que é tida entre as piores do mundo segue a cada rodada expondo a entidade ao ridículo, como ocorreu no fim do curso para presidentes de comissões de arbitragem, realizado na última semana, no Rio de Janeiro, em que uma pessoa “fantasiada de VAR”, para constrangimento geral, envergonhou o futebol pentacampeão do mundo como você pode ver clicando no link abaixo.

Vídeo

Com um setor desgastado pelo tempo protagonista de uma gestão fracassada que transformou a arbitragem brasileira em números, a demissão de Leonardo Gaciba que é dada como certa especialmente após esse episódio, caso consolidada, não pode servir como trampolim para que Alício Pena Júnior, seu principal aliado, assuma a comissão. Caso isso ocorra, Ednaldo Rodrigues cometerá o mesmo erro de Rogério Caboclo ao trocar ‘seis por meia dúzia’.

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios