ArbitragemDestaque

Em grupo de analistas no WhatsApp, Sérgio Corrêa detona ANAF por defesa a Denis Serafim após ‘xixi na TV’

Odiado por árbitros e dirigentes em todo país, ex-diretor da CBF que assina o fracasso do VAR no Brasil critica postura da entidade classe que saiu em defesa do árbitro alagoano após ‘meme’ na internet

Rio de Janeiro – Ele surgiu no cenário nacional depois de assumir o protagonismo pelego que norteou sua passagem pelo sindicalismo esportivo. Unanimidade negativa entre árbitros que até hoje assumem ojeriza por seu nome, Sérgio Corrêa da Silva, sabe-se lá como, segue empregado na CBF recebendo, segundo informações não oficiais, um salário superior ao de Leonardo Gaciba, diretor de árbitros que assumiu o poder sem ter força política para demiti-lo.

Conhecido pelos escândalos pessoais em que se envolveu, com direito a “pedradas” e exposições desnecessárias em nome de um “amor mineiro”, Corrêa continua tendo a mesma habilidade de não só fazer, como semear e cultivar inimizades. Dessa vez, em um grupo privado de analistas no whatsapp, o dirigente paulista criticou a posição da Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (ANAF), que assim como toda a comunidade do futebol, saiu em defesa do árbitro alagoano, Denis Serafim, flagrado ontem pelas câmeras do SPORTV urinando momentos antes de autorizar o início do confronto entre Boa Vista – RJ x Goiás, válido pela Copa do Brasil.

A posição de Sérgio Corrêa em detonar a posição da ANAF, justifica o repúdio que muitos árbitros possuem por ele. Além de não ter a coragem de publicamente fazer uma crítica na página da entidade, Corrêa optou por ir na contramão das regras de boas práticas da CBF, ignorando, inclusive, o bom exemplo do presidente Rogério Caboclo que sempre foi sensível com os árbitros e que jamais se prestaria a esse tipo de conduta.

Com a imagem arranhada e desgastada pelos anos que ajudou transformar a arbitragem brasileira em números, ameaçando árbitros, perseguindo pessoas e expondo suas fraquezas, a passagem de um dos dirigentes mais controversos do país pela CBF, chega ao volume morto ao protagonizar mais um show de horrores em sua biografia esportiva.

Denis Serafim desde sua adolescência sofre com incontingência urinária. Problema comum que assola milhões de pessoas em todo o mundo que necessitam de tratamento médico para controlá-la. Execrado nas redes sociais após não conseguir se conter ontem à noite, em Saquarema – RJ, Denis ao invés de ouvir críticas de quem deveria abraçá-lo, infelizmente pode ser tonar mais uma vítima do mesmo sistema que perseguiu o baiano, Marielson Alves, o paraense, Dewson Freitas, e tantos outros profissionais que tiveram suas carreira ceifadas.

Logo depois do caso, diversos árbitros e dirigentes fizeram postagens nas redes sociais em apoio a Denis Serafim. Hoje cedo, o presidente da ANAF, Salmo Valentim, saiu em defesa do árbitro alagoano em uma postagem no twitter. O dirigente se colocou à disposição para ajudá-lo e lamentou que nas redes sociais o árbitro tenha sido execrado.

Nós procuramos Charles Hebert, diretor de árbitros de Alagoas para que ele pudesse falar sobre o caso. Porém o dirigente não quis se pronunciar.

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios