ArbitragemFutebol

Popular, talentoso e carismático, Marcelo de Lima inspira árbitros novos com treinos diários aos 49 anos

Em grande fase na carreira, o árbitro FIFA moral do Rio de Janeiro é sucesso no campo e nas redes sociais

Rio de Janeiro – Ele chegou ao topo da carreira fazendo partidas memoráveis em sua passagem pelo futebol. Até hoje apelidado carinhosamente como o árbitro “01” do Brasil pelos próprios colegas, o carioca Marcelo de Lima Henrique segue fazendo história no esporte ao atingir o auge da carreira.

Figurinha certa em jogos que exigem a presença de um árbitro com toda a sua bagagem, vê-lo apitar nos remete a uma quase extinta lembrança de árbitros que atuavam em qualquer jogo sem os aparatos tecnológicos e as diversas circulares sem sentido que acabaram tirando a naturalidade dos árbitros no campo de jogo.

Mas o sucesso de Marcelo de Lima não é apenas nos jogos que trabalha. Em sua conta oficial no instagram, o “quase cinquentão”, sempre que pode mostra a sua rotina diária de treinamentos e encoraja os árbitros novos que a cada postagem fazem questão de parabenizá-lo. “Treinem, jovens”, dizia Marcelo em mais um dia cotidiano em seus treinos.

Depois de um ano conturbado para a arbitragem em que a cada rodada discutia-se uma receita que não deu certo, Marcelo seguia fazendo seu trabalho sem polêmicas administrando com a autoridade que até hoje norteia seu nome, as partidas que conduziu. Bem na parte física e inteligente para aplicar as sansões de jogo sem se expor, o carioca tornou-se reflexo de tranquilidade para as comissões que o utilizam em seus campeonatos.

Com pelo menos mais seis anos de carreira pela frente, não se surpreenda caso ele consiga encerrar seu ciclo aos 55 anos de idade, atuando em alto nível, mostrando a quem quiser ver que um simples gesto pode ser, no campo de jogo, muito mais eficaz do que o gel utilizado pela “geração nutela” para embelzar suas madeixas.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios