ArbitragemFutebol

A atuação medíocre do FIFA Rafael Traci no Maracanã

Visivelmente acima do peso, perdido em campo e sem ritmo de jogo, árbitro de Santa Catarina protagonizou a pior atuação da 2ª rodada do Brasileirão 2020

Rio – Fluminense e Palmeiras empataram ontem em 1 a 1 no Maracanã, em confronto válido pela 2ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em um jogo feio de assistir, as duas equipes nem de longe pareciam estar no maior palco do futebol mundial disputando 3 pontos na tabela do torneio mais disputado do país.

Mas o que chamou atenção do início ao fim do jogo, foi a atuação bizarra do árbitro paranaense, mas que hoje apita em Santa Catarina, Rafael Traci. Mesmo tendo sido aprovado no teste FIFA que o homologou para atuar nesta temporada, não precisa ser um especialista em educação física para perceber que nem mesmo o uniforme preto, utilizado pelo árbitro, foi capaz de camuflar a sua má forma no campo de jogo.

Fisicamente, sua atuação justificou o péssimo trabalho que ele apresentou. Longe das jogadas, apitava tudo e a toda hora, fazendo com que o comentarista de arbitragem da Globo, Sálvio Spínola, ficasse revoltado com a quantidade de faltas marcadas pelo árbitro durante a partida. “Desde que cheguei à Central do Apito, essa é a primeira vez que vejo um número de faltas tão grande em um jogo oficial, 48”, revelou.

Mas não foram só os pilares físicos e técnicos que mostraram a fragilidade de sua atuação. Na parte disciplinar, mostrou-se inseguro e sem habilidade para manter um jogo que nem mesmo o clamor da torcida tinha, tendo em vista que por recomendação das autoridades brasileiras de saúde não há torcedores na retomada do futebol em razão da pandemia causada pela covid-19 no país.

Desde que saiu do Paraná revoltado com Afonso Victor de Oliveira, chefe do apito local, por “pouco apitar” na principal divisão do futebol paranaense, Traci, que se mudou para Santa Catarina sem ao menos ir até a sede da federação agradecer tanto ao presidente da FPF, Hélio Cury, quanto ao próprio Afonso Vistor que foi o grande responsável por sua aparição no cenário nacional, parece ter subido a cabeça o sucesso que conquistou em 2018. Mas de lá para cá, além de ter sumido dos principais jogos, na maioria das vezes em que é designado suas atuações são contestadas seja pela parte técnica, disciplinar ou, especialmente, a física, que, inclusive, pode tirar seu escudo da FIFA.

Bem longe de estar entre os melhores árbitros do país atualmente, Rafael Traci ontem mais pareceu ser um árbitro de Liga, do que propriamente um profissional que ostenta a maior honraria que um árbitro pode conquistar em sua carreira, o cobiçado escudo branco da FIFA que ontem, deveria ter sido desgrudado de sua camisa pela vexatória atuação protagonizada por ele no Maracanã.

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios